Seminário fortalece combate ao tráfico de pessoas na tríplice fronteira

01/07/2010 11:02

Por  Tatiana Félix

No último dia 23, Hernandárias, no Paraguai, sediou o Seminário Trinacional: Realidades e Desafios do Combate ao Tráfico de Pessoas, que reuniu participantes também do Brasil e Argentina, para discutir sobre a real atuação e o impacto deste complexo crime na região da tríplice fronteira sul-americana. O evento, promovido pela Rede Trinacional de Combate ao Tráfico de Pessoas, faz parte das ações do Programa Atenção às vítimas do Tráfico de Pessoas na Tríplice Fronteira.

O objetivo foi o de proporcionar uma oportunidade para que representantes do Brasil, Argentina e Paraguai articulem ações de apoio às redes locais de prevenção do crime e atendimento às vítimas existentes na tríplice fronteira.

Como temas prioritários do encontro, foram discutidos: "Abordagem Sistêmica e Articulação Insterinstitucional no combate ao tráfico de pessoas na Tríplice Fronteira", "Experiências na Prevenção do tráfico de pessoas", "Experiências locais na Atenção Direta às vítimas de tráfico de pessoas, com ênfase em mulheres, crianças e adolescentes" e "Situação do Tráfico na Tríplice Fronteira na perspectiva de investigação e punição".

Para a secretária da Rede Trinacional de Combate ao Tráfico de Pessoas, Arinha Rocha, o seminário foi um espaço de debate, onde os participantes dos três países puderam entender melhor sobre a dinâmica do tráfico humano, para lidar com este crime que age de forma oculta, buscando nas pessoas mais vulneráveis, suas vítimas.

"O encontro foi importante porque assunto é novo ainda, as leis são recentes. A união dos três países na região da fronteira é muito importante para enfrentarem o problema juntos e se fortalecerem. Não dá para trabalhar separadamente na fronteira", explicou.

O seminário contou com a participação da Ministra da Mulher do Paraguai, Gloria Rubín e do representante do Ministério da Justiça do Brasil, Mauricio Correale, e teve o apoio da Itaipu Binacional, Departamento de Estado dos Estados Unidos e da Organização Internacional para as Migrações (OIM).

Ela informou que um dos resultados do encontro será a implantação de um Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, na cidade de Foz do Iguaçu, no Paraná, pelo Ministério da Justiça. Por ser uma das regiões mais sensíveis da fronteira, pela facilidade de trânsito de pessoas dos três países, a estimativa é que o Núcleo funcione já no primeiro semestre de 2011. Atualmente, o Brasil conta com Núcleos em seis estados. O núcleo de Foz do Iguaçu será o primeiro do Paraná.

Segundo Arinha, outro resultado obtido através do Seminário Trinacional é o investimento para melhoria dos trabalhos realizados por ONGs paraguaias que lidam no combate ao tráfico, e que sem local específico, enfrentavam dificuldades para desenvolverem seu trabalho de prevenção e apoio às vítimas. O Ministério da Mulher do Paraguai também vai colaborar na estruturação para os trabalhos de luta contra o tráfico.

"Desafiando as diferenças culturais e as diferenças da língua, fortaleceremos a Rede Trinacional e o trabalho de enfrentamento ao tráfico de pessoas na região", finalizou.

http://www.adital.com.br/hotsite_trafico/noticia.asp?lang=PT&cod=49049