16 de outubro: São Geraldo Majela

Sua festa é no dia 16 de outubro. S. Geraldo nasceu em 1726, em Muro-Lucano, pequena cidade do sul da Itália. Sua mãe, Benedetta, foi uma bênção para ele, pois ensinou-lhe o imenso amor de Deus que não conhece limites. Seu pai faleceu quando ele tinha 14 anos. Tornou-se

aprendiz na alfaiataria da cidade e era maltratado e agredido pelo mestre. Passados quatro anos de aprendizado, quando ele já poderia montar sua própria alfaiataria, resolveu ir trabalhar como

empregado do bispo de Lacedônia, onde ficou por três anos.

 

Alfaiate

Em 1745, com 19 anos, voltou para Muro-Lucano, onde montou uma alfaiataria. Seu negócio prosperou, mas ele não ganhou muito dinheiro, pois dava tudo para os outros. Guardava o que era necessário para sua mãe e suas irmãs e dava o resto aos pobres ou para rezar missas pelas almas do purgatório. Geraldo foi crescendo constantemente no amor a Deus.

Mudou de vida

Geraldo quis servir plenamente a Deus e pediu admissão no convento dos Capuchinhos, mas não foi aceito. Tentou a vida de eremita. Em 1749, quinze missionários Redentoristas estiveram em sua cidade. Geraldo seguiu cada detalhe da missão e decidiu que aquela devia ser a sua vida. Pediu para ingressar no grupo missionário, mas P. Cáfaro, o Superior, recusou-o por motivo de saúde. Tanto importunou os padres que, ao deixarem a cidade, P. Cáfaro sugeriu à sua família que o trancasse no seu quarto. Geraldo amarrou os lençóis da cama e, descendo pela janela,  seguiu o grupo dos missionários. Fez uma dura caminhada de dezenove quilômetros para  chegar até eles: "Aceitem-me, me dêem uma chance, depois me mandem embora se eu não for bom”, dizia. Diante da persistência, P. Cáfaro consentiu e mandou Geraldo para a comunidade redentorista da cidade de Deliceto, com uma carta em que dizia: "Estou mandando um outro irmão, que será inútil quanto ao trabalho!"

Fez-se missionário redentorista

Geraldo professou os primeiros votos no dia 16 de julho de 1752. Mostrou-se excelente trabalhador: Foi jardineiro, sacristão, alfaiate, porteiro, cozinheiro, carpinteiro. Visitando a oficina de um escultor, logo começou a fazer crucifixos. Era uma jóia na comunidade e sua ambição era em tudo fazer a vontade de Deus. Em 1754, o seu diretor espiritual pediu-lhe que escrevesse qual era o seu maior desejo. Ele escreveu: "amar muito a Deus; estar sempre unido com Deus; fazer tudo por amor de Deus; amar a todos por amor de Deus; sofrer muito por Deus. Minha única ocupação é fazer a vontade de Deus."

Santo dos milagres

De poucos santos se recordam tantos fatos prodigiosos como de S. Geraldo. Fez milagres para o benefício de outros. É invocado principalmente como “o santo dos partos felizes”. Uma das suas obras de apostolado era a de encorajar e assistir moças que queriam entrar para o convento. Escreveu na porta do seu quarto: "Aqui se faz a vontade de Deus, como Deus quer e por quanto tempo ele quer!" Faleceu à meia noite do dia 15 de outubro de 1755. Foi  anonizado no dia 11 de dezembro de 1904, pelo Papa Pio X.

Pe. Geraldo Rodrigues

Boletim “Vivências” 474