Os jovens em Madri

Pe. Geraldo Rodrigues

Boletim "Vivências" 417

 

Na inscrição para para a Jornada Mundial de Madri, cada pessoa pagou uma taxa, segundo as várias opções oferecidas pela organização da Jornada. A taxa variava de 30 euros a 210 euros e as opções eram inscrição com alojamento e alimentação; só inscrição e refeições;

inscrição e alojamento, sem refeição, ou apenas inscrição.

Cada participante inscrito recebeu uma mochila com 15 itens como, por exemplo, um livro-guia com as principais informações sobre a jornada, além de dados sobre a cidade de Madri e a Espanha. Vinha também um exemplar do ‘youcat’, um catecismo para jovens católicos, com o prólogo escrito pelo papa Bento XVI. Também “O livro do peregrino”, com orações para o período da Jornada; um exemplar do Evangelho de São Mateus, em seis línguas (Espanhol, Inglês, Italiano, Francês, Alemão e Polonês), além de terço, crucifixo, boné e camiseta. Os participantes receberam, ainda, um vale transporte dando direito a se locomover em Madri gratuitamente no período da Jornada e o crachá para os atos centrais. A Jornada de Madri está sendo a primeira “plenamente adaptada aos jovens enfermos e com deficiência”. Isso se tornou uma das prioridades dos organizadores de “servir estes jovens, garantindo sua participação e protagonismo”. Participam da Jornada 4 mil peregrinos com deficiência, entre os quais cerca de 700 cadeirantes. Mais de 1.500 ficaram alojados em centros adaptados. Estes jovens ficam próximo do papa nos atos centrais do evento. Hoje, sábado, dia 20, às 19:30h, os jovens enfermos e com deficiência receberão a visita de Bento XVI, na Fundação Instituto São José. Manila, nas Filipinas, foi quem mais reuniu jovens para o encontro com o papa: cerca de 5 milhões, em 1995, seguida de Roma, com 2,1 milhões em 2000.