Somália: em 3 meses, 29 mil crianças mortas de fome!

Clamando por ajuda da comunidade Internacional, a Agência Americana de Ajuda ao Desenvolvimento informou que em três mesesPe. Geraldo Rodrigues

morreram de fome mais de 29 mil crianças menores de cinco anos na Somália. Nancy Lindborg, responsável da Agência Americana de Ajuda ao Desenvolvimento, disse que os últimos 90 dias foram a pior crise humanitária no “Chifre da África”, e a situação está se agravando. De acordo com as Nações Unidas, a fome propagou-se a três novas regiões na Somália, incluindo a capital, Mogadíscio.

Há crise de fome no assentamento de deslocados do corredor de Afgoye, na comunidade de deslocados de Mogadíscio, e nos distritos de Balaad e Adale, localizados na área de Middle Shabelle. Até 409 mil somalis estão registrados na zona do corredor de Afgoye, o maior acampamento de deslocados do mundo, de acordo com a ONU.

A situação é mais grave no sul da Somália porque a região é comandada por rebeldes islâmicos do grupo Al-Shabab, que impedem a atuação das agências humanitárias. A crise de fome ocorre quando dois adultos ou quatro crianças por grupo de 10 mil pessoas morrem de fome a cada dia e 30% das crianças são seriamente desnutridas. Na Somália, 3,2 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária

imediata! Chris Coons, senador americano democrata, afirmou no Congresso que a situação afeta a nutrição de 12 milhões de pessoas na Somália, Etiópia, Quênia, Djibuti e outros países vizinhos do “Chifre da África”.

 

Boletim "Vivências"406