Somália: o povo continua fugindo da penúria e da guerra

Pe. Geraldo Rodrigues

Boletim "Vivências"406 

 

A dramática situação que está atingindo os países do “Chifre da África” (Somália, Etiópia, Eritréia, Djibuti e Quênia) mobilizou várias

organizações humanitárias, como a Cáritas de todo o mundo. A situação mais dramática é a dos somalis que fogem da penúria e da guerra que castiga seu país. Os dois maiores campos de acolhida da Somáliasão Dadaab, no Quênia, e Dollo Ado, na Etiópia.

No campo de refugiados de Dadaaab, que se encontra no Quênia, a 80 km da fronteira com a Somália, chegam, em média, 2.500 pessoas por dia, 80% delas mães com crianças pequenas. “Mais do que um acampamento para refugiados, Dadaab é um aglomerado de vários campos”, explica a responsável do Catholic Relief Services, Suzanna Tkalec. Nesta estrutura, oferecem assistência sanitária, água e alimentos. Em relação à Somália, Tkalec explica que, simplesmente “por razões de segurança, decidiuse não divulgar as atividades das organizações humanitárias que atuam no país”.